Volkswagen anuncia investimentos milionários na área elétrica

O futuro da indústria automotiva é elétrico, cada vez mais essa tendência vai se confirmando com as grandes montadoras apostando forte no setor. O site Motor 1 trouxe a informação que de que os alemães mudanças em seus planos de curto e longo prazo, tudo para aumentar a eletrificação de sua linha de produção. Os primeiros investimentos, de 60 bilhões de euros, algo em torno de R$278 bilhões, serão feitos até 2024. Já a longo prazo o plano é apresentar, até 2029, 75 veículos elétricos e 60 híbridos.

A projeção dos alemães e bastante ousada, vender 26 milhões de unidades até 2029. Também vida que no mesmo período sejam comercializados seis milhões de híbridos, que serão montados em duas plataformas diferentes em 16 fábricas espalhadas pelo mundo.

É justamente para alcançar essa meta que a empresa decidiu investir pesado. O valor representa 40% dos investimentos totais feitos em equipamentos, custos de desenvolvimento, propriedades e complexos industriais.

A revisão do plano foi anunciada pouco depois da Volkswagen iniciar a produção do VW ID.3, o primeiro de uma série de elétricos planejados pela montadora. Antes mesmo do carro ganhar o mercado já iniciou os trabalhos de uma segundo modelo, um crossover chamado  crossover ID.4. O carro deve ser produzido nós Estados Unidos.

Além de entrar na nova era dos automóveis, a Volkswagen também investe pesado para melhorar sua imagem, que ficou bem arranhada após o escândalo do Dieselgate. Na ocasião foi descoberto que a empresa usou várias fraudes nos filtros para falsificar os testes de emissão de carbono. A prática foi entre 2009 e 2015, e até hoje rende multas à montadora na Europa.

Golf será o primeiro carro híbrido da Volkswagen no Brasil

A Volkswagen prepara o lançamento de 20 carros no Brasil até o próximo ano, e o 14 dessa gama de veículos será o Golf GTE no modelo esportivo híbrido plug-in. Este será o primeiro modelo híbrido produzido pelos alemães para o mercado brasileiro. A informação foi dada pelo site Auto Racing.

O carro se propõe a apresentar desempenho esportivo com eficiência energética. A montadora diz que o Golf GTE pode ser conduzido no modo totalmente elétrico por cerca de 50 km, e a autonomia total do carro pode passar os 900 km incluindo motor elétrico e a gasolina.

No modelo híbrido, o Golf terá um motor a combustão, que pode chegar até 150 cavalos de potência, e um propulsor elétrico com 75 kW de potência, o equivalente a 102 cv. Juntos os dois motores podem oferecer uma potência de até 204 cv, utilizando apenas o motor elétrico o carro pode atingir até 130 km/h. Caso o motorista opte por utilizar os dois sistemas combinados, o GTE vai de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos.

O motor elétrico do carro é alimentado por uma bateria de 380 volts, garantindo que o carro rode por até 2h45min. Esta bateria pode ser carregada em uma tomada convencional de 220v ou nas estações de carregamento. A bateria de lítio de alta tensão é carregada através de soquete localizado atrás do logotipo VW na grade dianteira do carro. Ainda não há uma data oficial para o lançamento do carro que iniciará o processo de eletrificação da Volkswagen no Brasil.

Cupra apresenta parte de seu SUV elétrico

Uma fusão entre um crossover e um SUV é o que se pode ver das primeiras imagens do carro 100% elétrico da Cupra. A empresa apresentou em um teaser alguns elementos do carro, que será totalmente revelado em setembro durante o Salão de Frankfurt.

O Concept Cupra será uma versão esportiva do Seat Asteca, carro vendido na Europa. Na imagem oficial do SUV elétrico, foi possível perceber uma traseira limpa e sem escapamento, como todos os veículos elétricos. 

A Cupra é a marca esportiva da Seat, empresa que pertence a Volkswagen.

O último adeus ao Fusca

Um dos carros favoritos do brasileiro por décadas e que até hoje ainda tem apaixonados, o Fusca teve sua última unidade saída de uma fábrica nesta quarta-feira. A produção do carro foi encerrada na filial da Volkswagen da cidade de Puebla, no México, último país a produzir o veículo.

Foram 74 anos de Fusca pelo mundo, tempo que o tornou um dos mais populares do mundo. Criado em 1945, o carro teve 21 milhões de unidades produzidas ao longo de mais de sete décadas, das quais três milhões no Brasil. O país se tornou o terceiro país onde mais se vendeu Fusca em todo mundo, ficando atrás apenas de Alemanha e Estados Unidos.

A relação do brasileiro com o Fusca é tão grande que levou o presidente Itamar Franco a pedir que ele voltasse a ser produzido no país em 1992 para popularizar o carro no país. A Volkswagen tinha parado a produção brasileira do carro em 1986. A produção nacional foi encerrada definitivamente em 1996.

No México a produção seguiu até 2003 ano com o lançamento da “Última Edición”, encerrando um ciclo na história do automóvel. Foram 21,52 milhões de unidades vendidas em 20 países. A versão final mexicana, batizada “Última Edición”, representou o fim de um dos mais brilhantes capítulos da história do automóvel. Foram 21.529.464 de exemplares colocados nas ruas em 20 diferentes países. Mas a história ainda não havia acabado. Porém, a história seguiu com a fabricação do New Beetle, um carro que nunca atraiu tantos admiradores quanto seu antecessor.

Sem grandes mudanças ao longo das décadas, Fusca marcou diversas gerações Foto: Divulgação

O carro pensado por Adolf Hitler e projetado por Ferdinand Porsche passou pelos anos sem ter sua vinculação com o ditador alemão. O primeiro protótipo do carro foi apresentado em 1935. Mas demorou quase 10 anos para que começasse a produção em massa do veículo. Apenas no Natal de 1945, quando a fábrica já era comandada por militares britânicos, que iniciou produção em série. Até 1947 os carros eram destinados prioritariamente para Aliados com cerca de 1.000 unidades ao mês.

Foi em 1948 com a reforma cambial que o Fusca começou a ser vendido para clientes particulares. Em 1949 foi a produção deste simpático carro que liderou a recuperação econômica do país que vivia uma situação muito crítica desde o fim da II Guerra Mundial. O primeiro modelo foi importado da Alemanha para os Estados Unidos em 1949. A fábrica passou para uma produção de 1000 mil unidades em 1950, cinco anos depois a produção já era de um milhão anuais. Em fevereiro de 1972 o carro se tornou o mais produzido em todo o mundo com mais de 15 milhões de unidades.

Vídeo: Testamos o Tiguan Allspace

Bonito, espaçoso, confortável e extremamente fácil de dirigir são algumas das principais características do Tiguan Allspace, SUV médio da Volkswagen. Confira os detalhes no vídeo e a ficha técnica logo abaixo:

 
Ficha técnica
Carroceria Monobloco em aço, cinco portas, sete lugares
Motor Dianteiro, transversal, injeção direta, turbocompressor, duplo comando variável de válvulas na admissão e escape acionado por correia dentada, a gasolina e/ou etanol
Número de cilindros 4 em linha
Número de válvulas 16 (quatro por cilindro)
Taxa de
compressão
10:1
Cilindrada 1.395 cm³
Potência 150 cv a 5.000 rpm
Torque 25,5 kgfm a 1.500 rpm
Transmissão Automatizada de dupla embreagem e seis marchas
Tração Dianteira
Direção Elétrica
Suspensão dianteira Independente McPherson
Suspensão traseira Independente multibraços
Pneus e rodas 235/55 R18, liga leve 18″
Freios dia Discos ventilados com ABS e EBD
Freios tras Discos sólidos com ABS e EBD
Tanque 58 litros
Porta-malas 686 litros
Altura 1,65 m
Comprimento 4,70 m
Largura 1,83 m
Entre-eixos 2,79 m
Peso 1.598 kg
0 a 100 km/h 9,5 segundos
Velocidade máxima 198 km/h