Barrichello comemora 10 anos da vitória na F1 no lugar mais alto do pódio

Durante toda a semana passada o mundo do automobilismo lembrou, com certa dose de nostalgia e tristeza, a última vitória brasileira na Fórmula 1. No dia 13 de setembro de 2009 o brasileiro Rubens Barrichello, Rubinho foi o primeiro a cruzar a linha de chegada do GP da Itália, disputado em Monza, a bordo da surpreendente Brawn, equipe comandada por Ross Brawn, que por anos foi o responsável pelas estratégias vencedoras da Ferrari de Michael Schumacher e do próprio Rubinho.

Uma década depois Barrichello segue nas pistas, e quis o destino que justamente neste dia iniciasse o fim de semana da Stock Car, que disputou sua 8ª etapa no circuito do Velopark, em Nova Santa Rita, na região metropolitana de Porto Alegre. Com duas baterias consecutivas realizadas no domingo, Rubinho usou da estratégia para pular na frente e vencer a segunda corrida. Com um carro reconhecidamente inferior ao dos competidores, ele aproveitou a primeira bateria para economizar pneu e combustível, e com o grid invertido na segunda, soube entrar nos boxes na hora certa para pular na ponta e vencer a corrida.

No pódio, Rubinho era muito celebrado pelo público presente e, ao falar com a reportagem do Na Garagem, comparou a vitória em Monza 10 anos atrás com o momento vivido neste fim de semana. “São duas vitórias, porque o que o ser humano carrega são memórias, às vezes a gente não tem foto mas fica dentro da cabeça. Estou muito feliz de ter tido essa vitória e ter um público tão carinhoso comigo.” Mas além de estratégia, ele também precisou usar da experiência para evitar a ultrapassagem de um ousado Bruno Baptista, piloto da RCM. Baptista vinha rápido, e chegou a disputar a curva no final da reta com Barichello, mas não conseguiu achar o espaço e acabou saindo da pista. A manobra não teve nenhuma polêmica, e os dois pilotos trocaram elogios ao final da corrida. 

Barichello obteve sua quarta vitória nesta temporada da Stock Car, em todas o primeiro lugar veio na segunda corrida. O piloto da Full Time Sports chegou a 209 pontos, 39 a menos que o líder Ricardo Maurício. Embora matematicamente ainda esteja vivo na briga pelo título, a conquista ao fim do ano é uma tarefa difícil, já que reconhecidamente seu carro não é tão competitivo quanto dos adversários da ponta.

Estratégia garante liderança de Ricardo Maurício no campeonato da Stock Car

Uma corrida não se decide só dentro da pista, e isso ficou provado nas provas da Stock Car disputadas neste domingo no autódromo do Velopark, em Nova Santa Rita região metropolitana de Porto Alegre, provou isso. Nas duas baterias o grande vencedor foi Ricardo Maurício, da equipe Eurofarma, que mesmo chegando em terceiro em ambas as corridas, conseguiu somar os pontos necessários para assumir a liderança do campeonato com 245 pontos, quatro a mais que o companheiro de equipe e vice-líder Daniel Serra.

Maurício largou na pole na primeira bateria, mas foi ultrapassado na quarta volta por Felipe Fraga, piloto Cimed Racing. Na sequência ele ainda perderia o segundo lugar para Gabriel Casagrande, da Crown Racing. Ao invés de tentar perseguir os líderes, Maurício preferiu pensar no campeonato e garantir o terceiro lugar, pois sabia que os dois pilotos que estavam a frente eram mais rápidos.

Foi então que entrou em cena a estratégia de pensar nas duas corridas. Mais preocupado em somar pontos, e vendo o adversário principal na briga pelo título na nona posição, ele optou por uma parada mais longa, colocando mais combustível que os adversários. A primeira corrida terminou com ele na terceira posição, e com uma boa vantagem para a segunda bateria. Com o grid invertido, Maurício sabia que era preciso mais do que uma boa pilotagem para voltar aos primeiros lugares. Largando na sétima posição ele se valeu da parada da primeira corrida, quando colocou mais combustível, para fazer um pit stop mais curto na segunda. A estratégia só não funcionou melhor porque Rubens Barrichello, da Full Time Sports, e Bruno Baptista, da RCM, tiveram a mesma ideia. Com menos tempo de parada, eles assumiram o primeiro e o segundo lugar e disputaram a vitória até a bandeirada final. Maurício seguiu na terceira posição, e garantiu assim os pontos que lhe colocaram na liderança do campeonato.

Daniel Serra vence a Stock Car 500 no Velopark

Foto: Reprodução Instagram Daniel Serra

Com estratégia perfeita, Daniel Serra venceu a etapa de abertura da 40ª temporada da Stock Car e se junta ao pai Chico na lista dos centenários. E Meinha, o único a estar nas 500 corridas, se consagra! Rubens Barrichello, mesmo após batida, fica em segundo, com Ricardo Mauricio fazendo uma bela prova de recuperação em terceiro!

Logo na largada, realizada em fila indiana por causa da pista molhada, o pole position, Thiago Camilo, acelerou forte para manter a ponta, seguido de perto por Daniel Serra em segundo e Rubens Barrichello em terceiro.

Logo na segunda volta, Marcos Gomes mergulhou por dentro e tomou a quarta posição de Nelson Piquet Jr. Pouco depois, Marcel Colleta e Pedro Cardoso, dois estreantes, rodaram e perderam muitas posições.

Enquanto isso, Camilo e Serra travavam uma intensa disputa pela liderança, com ambos usando o botão de ultrapassagem, Serrinha para atacar e Camilo para se defender das investidas do atual campeão da Stock Car.

Mais atrás, Max Wilson, Cesar Ramos e Gabriel Casagrande protagonizaram uma disputa emocionante pela décima posição, com os três entrando juntos em uma das curvas do Velopark.

Com trinta minutos restantes para o final da Stock Car 500, Thiago Camilo, que chegou a sofrer pressão de Daniel Serra, acelerava para abrir pouco mais de dois segundos e meio de vantagem para o segundo colocado.

Na 17ª volta, Guga Lima escapou da pista no mesmo ponto onde Átila Abreu bateu forte durante a classificação, se chocou contra a barreira de pneus, provocou a entrada do safety car e a vantagem de Camilo sobre Serra foi anulada.

Na relargada, autorizada na 21ª volta, Camilo acelerou forte e conseguiu se manter na ponta, aproveitando a presença de Denis Navarro, retardatário e que estava entre ele e Serra.

Pouco depois, a chuva, que caiu forte no sábado de classificação, voltou forte sobre a pista gaúcha e obrigou a colocação dos pneus para pista molhada.

Uma volta após fazer sua parada, Thiago Camilo errou, saiu da pista e foi superado por Marcos Gomes. Daniel Serra, que ganhou a posição de Camilo após atrasar sua parada, conseguiu voltar para a pista na ponta, com Barrichello em segundo e Marcos Gomes em terceiro.

A 13 minutos do final da prova, Camilo acionou o botão de ultrapassagem e partiu para cima de Marcos Gomes na tentativa de tomar a terceira posição do piloto da KTF Sports, mas Marquinhos soube se defender para segurar a posição. Duas voltas mais tarde, Camilo mais uma vez acionou o botão para superar Marcos Gomes.

Poucas voltas depois, Marquinhos começou a perder rendimento, ficou lento e perdeu posições. Enquanto isso, Serrinha seguia tranquilo na liderança, mais de dez segundos à frente de Rubens Barrichello, o segundo colocado.

Andando em um ritmo muito forte, Daniel Serra, que chegou a colocar uma volta em Thiago Camilo, àquela altura o quarto colocado, cruzou a linha de chegada para vencer a 500ª corrida da história da Stock Car. Rubens Barrichello terminou em segundo e Ricardo Maurício foi o terceiro.

O que disseram os protagonistas:

Daniel Serra, piloto vencedor: “Estava chovendo e eu conseguia ver a diferença e eu comecei a fazer um pouco de conta e vi que não compensava colocar pneus de chuva pois ela estava ameaçando parar. Aí eu pensei: a gente corre o ano inteiro, nos últimos dois anos, sendo cauteloso, mas nessa não. Eu quero correr do jeito prazeroso que é para a corrida, arriscamos, achei que dava e estou muito feliz!”

Rosinei Campos, equipe vencedora: “Foi bastante difícil a decisão e teve bastante confusão para administrar os dois carros, pois tínhamos uma janela limitada, mas o Daniel resolveu permanecer na pista e a gente segurou o Ricardo também. Aí o Daniel tomou a decisão de continuar com pneus slick porque ele sentiu que ia parar de chover e que poderia continuar. Fizemos isso nos dois carros e foi muito acertado. Devemos muito a ele (Daniel Serra) essa decisão que foi acertada.”

Rubens Barrichello, segundo colocado: “Que sufoco! Que vitória poder dar isso para essa galera que trabalha muito. Não tem o que falar, porque a bandeira azul trabalha um pouco obsoleta até agora e os competidores, que estavam com pneu de chuva brigavam entre eles, então eu decidi ficar quietinho, mas o Cacá voltou com tudo e quebrou o esterço do volante. Para a direita não tinha curso, tinha que fazer bem devagar e para a esquerda virava demais, então foi uma vitória e eu fico muito feliz em dar esse pódio para essa galera que trabalha tanto!”

Ricardo Mauricio, terceiro colocado: “Eu sabia que muita gente tinha entrado na primeira volta, logo que o box abriu e a preferência na nossa equipe é sempre para o piloto que está na frente, então o Daniel tinha a preferência.

Em uma parte da pista estava chovendo, na outra nem tanto, com seis voltas de box aberto. Aí me mandaram entrar e vi que muita gente já tinha entrado para trocar os quatro pneus. A gente só ia trocar dois, pois estávamos mais rápido. Depois comecei a ter um pouco mais de cautela para passar o pessoal que estava com pneu de chuva, pois sei que não é fácil andar com pneu de chuva no seco.”

A próxima etapa da Stock Car acontece no dia 5 de maio no Velopark. Confira abaixo o resultado extra-oficial:

1 . Daniel Serra ( Eurofarma RC ), 46 voltas

2 . Rubens Barrichello ( Full Time Sports ), a 22s893

3 . Ricardo Maurício ( Eurofarma RC ), a 44s775

4 . Thiago Camilo ( Ipiranga Racing ), a 1 volta

5 . Felipe Fraga ( Cimed Racing ), a 1 volta

6 . Marcos Gomes ( KTF Sports ), a 1 volta

7 . Nelson Piquet Jr ( Full Time Sports ), a 1 volta

8 . Cesar Ramos ( Blau Motor Sports ), a 1 volta

9 . Gabriel Casagrande ( Crown Racing ), a 1 volta

10 . Julio Campos ( Prati-Donaduzzi Racing ), a 1 volta

11 . Ricardo Zonta ( Shell V-Power ), a 1 volta

12 . Allam Khodair ( Blau Motor Sports ), a 1 volta

13 . Lucas Foresti ( Vogel Motorsport ), a 1 volta

14 . Gaetano di Mauro ( Shell Helix Ultra ), a 1 volta

15 . Rafael Suzuki ( Hot Car Competições ), a 1 volta

16 . Max Wilson ( RCM Motorsport ), a 1 volta

17 . Bruno Baptista ( RCM Motorsport ), a 1 volta

18 . Diego Nunes ( KTF Sports ), a 1 volta

19 . Bia Figueiredo ( Ipiranga Racing ), a 2 voltas

20 . Galid Osman ( Shell Helix Ultra ), a 2 voltas

21 . Cacá Bueno ( Cimed Racing ), a 2 voltas

22 . Denis Navarro ( Cavaleiro Sports ), a 2 voltas

23 . Felipe Lapenna ( Cavaleiro Sports ), a 2 voltas

24 . Guga Lima ( Vogel Motorsport ), a 29 voltas

25 . Valdeno Brito ( Prati-Donaduzzi Racing ), a 40 voltas

26 . Marcel Coletta ( Crown Racing ), a 43 voltas

27 . Pedro Cardoso ( Hot Car Competições ), a 43 voltas

Thiago Camilo será o pole position na prova de abertura da temporada 2019 da Stock Car

Thiago Camilo será o pole position na corrida de número 500 da história da Stock Car, que chega nesta temporada aos seus 40 anos. Ele fez o tempo de 1min03s099, no Velopark. Em segundo lugar largará o atual bicampeão, Daniel Serra.

Rubens Barrichello largará na terceira posição, seguido por seu companheiro de equipe, Nelsinho Piquet.

A única baixa no treino foi Valdeno Brito, que bateu forte no treino livre da manhã e não teve seu carro consertado a tempo para a tomada. A prova está marcada para as 10h30 e pode ser acompanhada pelo canal SporTV2.

Confira abaixo o grid de largada completo da #StockCar500

1 – Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – 1min03s099
2 – Daniel Serra (Eurofarma RC) – 1min03s393
3 – Rubens Barrichello (Full Time Sports) – 1min03s488
4 – Nelson Piquet Jr (Full Time Sports) – 1min03s818
5 – Marcos Gomes (KTF Sports) – 1min03s938
6 – Gaetano di Mauro (Shell Helix Ultra) – 1min04s199
7 – Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – 1min02s302  
8 – Ricardo Zonta (Shell V-Power) – 1min02s335
9 – Cacá Bueno (Cimed racing) – 1min02s500
10 – Cesar Ramos (Blau Motorsports) – 1min02s796
11 – Gabriel Casagrande (Crown Racing) – 1min02s811
12 – Max Wilson (RCM Motorsport) – 1min02s862
13 – Diego Nunes (KTF Sports) – 1min02s895
14 – Átila Abreu (Shell V-Power) – 1min04s193
15 – Rafael Suzuki (Hot Car Competições) – 1min04s805
16 – Felipe Fraga (Cimed racing) – 59s770
17 – Ricardo Maurício (Eurofarma RC) – 59s781
18 – Galid Osman (Shell Helix Ultra) – 59s816
19 – Allam Khodair (Blau Motor Sports) – 59s915
20 – Marcel Colleta (Crown Racing) – 59s919
21 – Pedro Cardoso (Hot Car Competições) – 1min00s089
22 – Lucas Foresti (Vogel Motorsport) – 1min00s229
23 – Guga Lima (Vogel Motorsport) – 1min00s401
24 – Bia Figueiredo (Ipiranga Racing) – 1min00s559
25 – Bruno Baptista (RCM Motorsport) – 1min00s643
26 – Denis Navarro (Cavaleiro Sports) – 1min02s314
27 – Felipe Lapenna (Cavaleiro Sports) – 1min03s077
28 – Valdeno Brito (Prati-Donaduzzi Racing) – sem tempo

Confira as equipes, pilotos e o calendário da temporada 2019 da Stock Car

Confira as equipes, pilotos e o calendário da temporada 2019 da Stock Car

A mais importante competição automobilística do Brasil e uma das maiores do mundo, ficando atrás apenas da americana Nascar, da alemã DTM e da australiana V8, a Stock Car chega em 2019 aos seus 40 anos de existência, alcançando a marca de 500 corridas.

Os maios conhecidos nomes do automobilismo brasileiro estão na no grid. Pilotos como Rubens Barrichello, Cacá Bueno, Bia Figueiredo, Max Wilson e Ricardo Zonta dividirão a pista com os novatos Marcel Coletta (17 anos), Pedro Cardoso (20 anos) e Gaetano Di Mauro (21 anos).

Confira abaixo as equipes, pilotos e as datas das 12 etapas da competição:

Equipes e pilotos:

Blau Motorsport: Allam Khodair e Cesar Ramos

Cavaleiro Sports: Denis Navarro e Felipe Lapenna

Cimed Racing: Cacá Bueno e Felipe Fraga

Crown Racing: Gabriel Casagrande e Marcel Coletta

Eurofarma RC: Daniel Serra e Ricardo Maurício

Shell Helix Ultra: Galid Osman e Gaetano Di Mauro

Full Time Sports: Rubens Barrichello e Nelsinho Piquet

Hot Car Competições: Rafael Suzuki e Pedro Cardoso

Ipiranga Racing: Bia Figueiredo e Thiago Camilo

KTF Sports: Marcos Gomes e Diego Nunes

Prati-Donaduzzi Racing: Júlio Campos e Valdeno Brito

RCM: Bruno Baptista e Max Wilson

Shell V-Power: Ricardo Zonta e Átila Abreu

Vogel Motorsport: Guga Lima e Lucas Foresti

Calendário de provas:

1ª etapa – 7 de abril de 2019 – Velopark / RS

2ª etapa – 5 de maio de 2019 – Velo Città / SP*

3ª etapa – 19 de maio de 2019 – Goiânia / GO

4ª etapa – 9 de junho de 2019 – Londrina / PR*

5ª etapa – 21 de julho de 2019 – Santa Cruz do Sul / RS*

6ª etapa – 11 de agosto de 2019 – Campo Grande / MS*

7ª etapa – 25 de agosto de 2019 – Interlagos / SP

8ª etapa – 15 de setembro de 2019 – Curitiba / PR*

9ª etapa – 20 de outubro de 2019 – Cascavel / PR*

10ª etapa – 10 de novembro de 2019 – Tarumã / RS*

11ª etapa – 24 de novembro de 2019 – Goiânia / GO*

12ª etapa – 15 de dezembro de 2019 – Interlagos / SP

*rodadas duplas