Hyundai inicia vendas do novo HB20 no Brasil

A nova geração do HB20 começará a ser vendida a partir desta quinta-feira em todo o país. O carro é um dos maiores sucesso da Hyundai no país, e ganhou uma renovação no design, itens de segurança e na tecnologia. A proposta da marca é retomar um estilo mais esportivo, que a Hyundai chama de Esportividade Sensual.

Também está prometido um aumento no espaço interno e versões com motor 1.0l Turbo GDI, equipados com injeção eletrônica direta de combustível. Logo após o lançamento a empresa havia organizado um sistema de pré-vendas, iniciado na segunda quinzena de setembro. De acordo com nota lançada pela Hyundai, o site recebeu 1,7 milhão de visitas com registro de 70 mil interessados em comprar o novo modelo hatch. A empresa tenta inovar o sistema de vendas utilizando redes sociais para abocanhar uma fatia maior de mercado neste fim de ano. A comercialização será oferecida pelo Instagram e o WhattsApp oferecerá o serviço de cotação aos interessados.

Neste primeiro momento o modelo hatch terá sete versões: Sense (1.0l MT), Vision (1.0l MT, 1.6l MT e 1.6l AT) Evolution (1.0l MT e 1.0 Turbo GDI AT), Launch Edition (1.6l AT), Diamond (1.0l Turbo GDI AT) e Diamond Plus (1.0l Turbo GDI AT). O novo HB20 teve um aumento no seu espaço interno, com acréscimo de 30 mm entre-eixos e vão para pernas do banco traseiro foi aumentado 47 mm.

Quando o assunto é motor, a Hyundai aposta que o propulsor entregará 120 cavalos de potência, com torque máximo de 17,5 kgf.m logo aos 1.500 rpm. Com isso, os motoristas deverão ter uma aceleração mais eficiente facilitando ultrapassagens. Nas versões turbos, o carro terá um câmbio automático de seis marchas. A Hyundai investiu US$ 35 milhões no Brasil em 2019, passando a produção de 180 mil para 210 mil unidades por ano.

Coleção de carros do ator Paul Walker vai a leilão em janeiro

Astro da série Velozes e Furiosos, Paul Walker carregava a paixão pelos carros para fora das telas. Morto em um acidente há quase seis anos, o ator tinha uma coleção de automóveis na garagem, que será parcialmente leiloada, de acordo com o site Aquela Máquina.
O previsto é que o lote com os carros do ator seja vendido entre os dias 11 e 19 de janeiro de 2020, em Scottsdale, Arizona. A responsável pela venda será a leiloeira Barrett-Jackson, que apresentará um lote com peças como uma coleção de BMW M3s e o Nissan 370Z de 2009, utilizado no quinto filme da série. Outro destaque é o Ford Mustang Boss 302 S Race Car.
A garagem de Walker tinha cinco BMW M3 E36 Lightweight, carro que teve apenas 125 unidades construídas apenas 125 unidades, entre eles uma versão exclusiva construída para competições. Este é equipado com uma asa traseira e um spoiler dianteiro mais agressivos.

bmw
BMW M3 E36 Lightweight é um dos destaques da coleção particular do ator morto em 2013 Foto: Divulgação

Também integram a lista do lote um Chevrolet Nova Wagon (1963), um Chevrolet Chevelle Wagon (1964) e um Chevrolet II Nova (1967). Um Ford Bronco SUV (1995), um Audi S4 (2000), uma Ford F250 Pickup (2003) e outra Toyota Tundra Pickup (2006) fazem parte da lista, a que se juntam três motas: uma Harley-Davidson RS de 2005, uma Suzuki de 2008 e uma BMW de 2011.

Kia espera vender 1,5 mil unidades do novo Cerato até o fim do ano

A Kia espera que o seu novo Cerato venda 1,5 mil unidades até o final do ano, com 500 carros emplacados em cada um dos últimos três meses de 2019. Para alcançar a meta a montadora apresentou um carro totalmente remodelado apostando em um design esportivo em contraste com o visual mais conservador dos concorrentes.

O sedã da Kia também ganhou em tamanho, aumentando o espaço e o porta malas, que passou para 506 litros. Quando o assunto é motor, as três versões do carro serão equipadas com o Nu-2, mesmo modelo flex que era utilizado na caminhonete Sorento. No sedã, a expectativa é que o propulsor 2.0 de 167 cavalos consiga entregar um desempenho ainda melhor com mais economia de combustível, por ter sido projetado originalmente para um veículo bem maior.

cerato 1
Aumento do espaço interno e do porta malas são alguns dos destaques do carro equipado com motor 2.0 Foto: Eduardo Amaral

Com câmbio automático de seis marchas nas três versões, o Cerato terá o preço de R$ 94 mil nas versões EX, e R$ 107 mil no modelo SX. Na parte interna o carro é equipado com seis airbags e uma central multimídia, além da chave de aproximação, tecnologia já utilizada em outros carros da marca.

Site russo coloca réplica do Batmóvel à venda

É provável que nove em cada 10 pessoas já tenha sonhado em dirigir o Batmóvel, o carro do homem morcego que por décadas passou por diversas mudanças, mas sempre esteve no imaginário da cultura pop. Pois agora quem quiser, e tiver 773 mil euros sobrando, poderá realizar esse sonho.

O site Aquela Máquina noticiou nesta semana que uma réplica do filme usado no filme Batman vs Superman será colocado a venda. O veículo começou a ser construído em 2018 nos Estados Unidos, mas foi finalizado na Rússia, país onde a venda está sendo feita.

Com motor a gasolina de 5.0 litros, o Batmóvel promete 502 cavalos de potência, e totalmente automatizado, tanto câmbio como portas. Se a ideia do comprador for combater o crime, ou ir a padaria com mais segurança, a garantia virá dos vidros blindados e do volante, removível, estilo competição. Além disso o veículo conta com uma câmera de visão noturna, com inteligência térmica e zoom de 225 vezes. O anúncio ainda promete vender o carro equipado com duas metralhadoras, falsas, que simulam disparos. Tudo para se sentir o Batman circulando em Gotham City, por apenas 773 mil euros.

Mercedes prepara série de lançamentos no Brasil

A Mercedes promete para novembro a chegada da nova geração do modelo GLC, que atualmente é vendido em quatro versões no país. De acordo com o Estadão, a versão 250 Highway virá equipada com motor 2.0 Turbo, o qual promete entregar 211 cavalos de potência. A motorização é a mesma já utilizada na versão Sport, porém esta tem um acabamento diferenciado.

O modelo esportivo 43 AMG, virá com o motor V6 turbo que entregará 376 cavalos de potência, enquanto o 63 AMG ficará equipado com um potente motor V8 com potência de 476 cavalos.

Toda essa potência tem um preço, mas a Mercedes ainda não definiu qual será. Devido a variação do dólar, a montadora alemã não definiu ainda quanto cobrará. O que se sabe é que deve ser mais caro que o atual, com custo de R$ 270,9 mil.

O GLC não é a única novidade da Mercedes a ser apresentada neste ano. No último trimestre deste ano chega ao mercado o GLE. Em março de 2020 é a vez de o Brasil receber o Classe A 45 S e o CLA 45 S. O GLB desembarca no país no segundo semestre do próximo ano.

Brasília inicia projeto de compartilhamento de carros

Depois de bicicletas compartilhadas, chegou a vez dos compartilhamento de carros chegar ao Brasil. Por iniciativa da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), 12 carros elétricos começaram a circular em Brasília na segunda-feira, 7, no modelo de compartilhamento. O site da Agência garante que até o fim do ano mais quatro veículos devem ser incorporados a frota, totalizando 16.

Neste primeiro momento os carros, todos elétricos, vão atender os servidores públicos da cidade, que terão a disposição 35 eletropostos para abastecer os veículos. Os locais tem capacidade para atender até dois veículos, e ficarão disponíveis para usuários comuns, que não são servidores públicos.

O projeto batizado de Vem DF (Veículo para Eletromobilidade) teve investimento de R$ 2,1 milhões. O compartilhamento será feito através do software MoVe, pelo qual será possível reservar os veículos disponíveis e rastreá-los. O desbloqueio será feito através de cartões dos servidores cadastrados no sistema. O modelo escolhido para o serviço é o Twizy, fabricado pela francesa Renault, com autonomia de até 100 km e chegam a velocidade de 80 km/h.

Mercedes prepara carro conceito para evento de design

A Mercedes decidiu revistar o passado para o Design Essentials 2019, lançando um roadster futurista inspirado em um calhambeque do inícios do século XX. De acordo com o site Aquela Máquina, o Vision Mercedes Simplex foi inspirado no Mercedes 35 PS, carro criado em 1901, e funciona como uma homenagem aos carros de competição da marca.

O carro tem o objetivo de definir novos padrões de mobilidade. Além de lembrar o carro que dominou as pistas, a Mercedes também traz uma grelha em rosa dourado dando um ar esportivo. Na parte central há um visor digital que destaca o nome da marca, acompanhado a imagens animada com informações sobre o carro.

Tetracampeão de F1 com a Mercedes, o inglês Lewis Hamilton é um dos garotos propaganda do carro que remonta aos clássicos de competição da marca Foto: Divulgação

A carroceria do Vision tem quatro rodas independentes com pneus exclusivos. Mas quando o assunto é motor, a montadora alemã preferiu manter o mistério e não deu nenhuma informação sobre o mesmo. Especialistas europeus apostam que o carro sairá da fábrica com um motor elétrico.

Toyota RAV4 é reprovado no Teste do Alce

A Toyota recebeu uma péssima notícia na semana passada, ao ter o seu RAV4 reprovado no chamado ‘teste do alce’, realizado pela publicação sueca Teknikens Värld. Ao analisar algumas unidades do novo SUV da montadora da japonesa, os suecos consideram que o carro teve um comportamento “perturbador”, como mostra o site autofoco.com.

O Teste do Alce é feito com o carro sendo colocado entre cones em uma velocidade entre 70 e 80 km/h. De acordo com a publicação “o SUV mostrou uma tendência a levantar as duas rodas exteriores e noutras o ESP não conseguiu controlar adequadamente os movimentos do veículo, resultando em sobreviragem excessiva, e muitas vezes falhou o teste.” A revista foi a primeira a, em 1997, mostrar as falhas da primeira geração do Mercedes Classe A, que também foi reprovado no teste.

O RV4 conseguiu cumprir as exigências do teste com uma velocidade de apenas 68 km/h, na comparação com os concorrente Nissan Qashqai e Kia Sorento o resultado foi bem abaixo. O primeiro cumpriu as metas com 84 km/h enquanto o segundo passou com 78 km/h.

Em nota enviada à revista a Toyota defendeu a qualidade do seu carro. No texto, assinado pelo diretor de comunicação da sede sueca da empresa, Erik Gustafsson, ela afirma que o RAV4 foi “aprovado em exames internos que permitem concluir sobre a sua aptidão no Teste do Alce. Os nossos testes internos atendem, na plenitude, aos padrões internacionais de segurança e, desde 2016, atualizamos os nossos processos para refletir também os procedimentos utilizados pela Teknikens Värld. Durante seu estágio de desenvolvimento, o RAV4 passou com sucesso em todos os testes internos, incluindo o ISO 3888-2 e o teste do Alce da Teknikens Värld”.

Barrichello comemora 10 anos da vitória na F1 no lugar mais alto do pódio

Durante toda a semana passada o mundo do automobilismo lembrou, com certa dose de nostalgia e tristeza, a última vitória brasileira na Fórmula 1. No dia 13 de setembro de 2009 o brasileiro Rubens Barrichello, Rubinho foi o primeiro a cruzar a linha de chegada do GP da Itália, disputado em Monza, a bordo da surpreendente Brawn, equipe comandada por Ross Brawn, que por anos foi o responsável pelas estratégias vencedoras da Ferrari de Michael Schumacher e do próprio Rubinho.

Uma década depois Barrichello segue nas pistas, e quis o destino que justamente neste dia iniciasse o fim de semana da Stock Car, que disputou sua 8ª etapa no circuito do Velopark, em Nova Santa Rita, na região metropolitana de Porto Alegre. Com duas baterias consecutivas realizadas no domingo, Rubinho usou da estratégia para pular na frente e vencer a segunda corrida. Com um carro reconhecidamente inferior ao dos competidores, ele aproveitou a primeira bateria para economizar pneu e combustível, e com o grid invertido na segunda, soube entrar nos boxes na hora certa para pular na ponta e vencer a corrida.

No pódio, Rubinho era muito celebrado pelo público presente e, ao falar com a reportagem do Na Garagem, comparou a vitória em Monza 10 anos atrás com o momento vivido neste fim de semana. “São duas vitórias, porque o que o ser humano carrega são memórias, às vezes a gente não tem foto mas fica dentro da cabeça. Estou muito feliz de ter tido essa vitória e ter um público tão carinhoso comigo.” Mas além de estratégia, ele também precisou usar da experiência para evitar a ultrapassagem de um ousado Bruno Baptista, piloto da RCM. Baptista vinha rápido, e chegou a disputar a curva no final da reta com Barichello, mas não conseguiu achar o espaço e acabou saindo da pista. A manobra não teve nenhuma polêmica, e os dois pilotos trocaram elogios ao final da corrida. 

Barichello obteve sua quarta vitória nesta temporada da Stock Car, em todas o primeiro lugar veio na segunda corrida. O piloto da Full Time Sports chegou a 209 pontos, 39 a menos que o líder Ricardo Maurício. Embora matematicamente ainda esteja vivo na briga pelo título, a conquista ao fim do ano é uma tarefa difícil, já que reconhecidamente seu carro não é tão competitivo quanto dos adversários da ponta.

Estratégia garante liderança de Ricardo Maurício no campeonato da Stock Car

Uma corrida não se decide só dentro da pista, e isso ficou provado nas provas da Stock Car disputadas neste domingo no autódromo do Velopark, em Nova Santa Rita região metropolitana de Porto Alegre, provou isso. Nas duas baterias o grande vencedor foi Ricardo Maurício, da equipe Eurofarma, que mesmo chegando em terceiro em ambas as corridas, conseguiu somar os pontos necessários para assumir a liderança do campeonato com 245 pontos, quatro a mais que o companheiro de equipe e vice-líder Daniel Serra.

Maurício largou na pole na primeira bateria, mas foi ultrapassado na quarta volta por Felipe Fraga, piloto Cimed Racing. Na sequência ele ainda perderia o segundo lugar para Gabriel Casagrande, da Crown Racing. Ao invés de tentar perseguir os líderes, Maurício preferiu pensar no campeonato e garantir o terceiro lugar, pois sabia que os dois pilotos que estavam a frente eram mais rápidos.

Foi então que entrou em cena a estratégia de pensar nas duas corridas. Mais preocupado em somar pontos, e vendo o adversário principal na briga pelo título na nona posição, ele optou por uma parada mais longa, colocando mais combustível que os adversários. A primeira corrida terminou com ele na terceira posição, e com uma boa vantagem para a segunda bateria. Com o grid invertido, Maurício sabia que era preciso mais do que uma boa pilotagem para voltar aos primeiros lugares. Largando na sétima posição ele se valeu da parada da primeira corrida, quando colocou mais combustível, para fazer um pit stop mais curto na segunda. A estratégia só não funcionou melhor porque Rubens Barrichello, da Full Time Sports, e Bruno Baptista, da RCM, tiveram a mesma ideia. Com menos tempo de parada, eles assumiram o primeiro e o segundo lugar e disputaram a vitória até a bandeirada final. Maurício seguiu na terceira posição, e garantiu assim os pontos que lhe colocaram na liderança do campeonato.