Guardado por quatro anos, clássico Lamborghini Miura S, irá a leilão

Encontrado em um barracão na Alemanha, um Lamborghini Miura P400 S pode render até um milhão de euros aos proprietários. A RM Sotheby’s prepara o leilão do carro com chassis “4245”  para outubro.

A história deste Miura começa em 1971, quando o empresário Walter Becker comprou o carro em Nuremberg, na Alemanha. Três anos depois ele vendeu ao piloto amador Hans-Peter Weber, que manteve o Miura em sua posse até morrer em 2015.

Com o falecimento do proprietário o carro foi levado para o barracão de um amigo de Weber, localizado na Floresta Negra. O clássico ficou guardado nos últimos três anos, e agora volta ao público para ser vendido. Mesmo precisando de uma boa reforma depois de tanto tempo guardado, o carro tem atrativos bastante interessantes. Os antigos donos rodaram 29 mil quilômetros com o Miura e é praticamente todo original, tendo tido apenas os cintos de segurança e os piscas dianteiros trocados. Essa originalidade é o que leva a leiloeira a projetar uma venda na casa do milhão.

Land Rover apresenta pacote de melhorias antes de lançar nova geração Defender

Antes de apresentar a nova geração do Land Rover Defender, a marca britânica resolveu oferecer aos clientes mais puristas um pacote de componentes voltados para os modelos variantes 90n e 110 dos carros da linha produzidos entre 1994 e 2016. 

Os componentes que serão lançados pela Land Rover Classic são inspirados no Defender Works V8. Entre os elementos que poderão ser melhorados estão os aros de 18 polegadas Sawtooth e os kits de suspensão a partir dos modelos de 2007. Este pacote foca em auto estradas, mas para os clientes que pretendem um carro mais preparado para terrenos mais difíceis e sem asfalto.

Principais novidades estão voltadas para suspensão, freios e rodas. Foto: Divulgação

Entre as opções oferecidas pela Land Rover Classic para terrenos acidentados está um kit de que inclui freios específicos para a versão especial V8, pastilhas entre outros elementos que se unem aos aros de 18 polegadas Sawtooth e a suspensão melhorada

Quem possui um modelo do 2.2TDCi produzido a partir de 2012, além das alterações dos outros modelos, foram disponibilizados também pneus de alta performance e mais 40 cavalos de potência. Com isso, os carros chegarão a 162 cavalos, com uma velocidade máxima de 170 km/h. A fábrica disponibilizou também logotipos para os proprietários que quiserem sinalizar as mudanças feitas nos veículos.

Porsche 356C de 1962 ultrapassa marca de 1.4 milhão de quilômetros rodados

Morando na Califórnia, ele não se furta a colocar diariamente o carro fabricado em 1964 nas ruas e estradas, tanto que o marcador já registra 1,57 milhão de quilômetros rodados, e ainda assim segue em ótimo estado.

O carinho ao carro se explica pela origem, já que ele foi comprado há mais de 40 anos pelo pai de Newmark. A paixão pela marca parece estar no sangue da família, já que o norte americano ainda tem na garagem um modelo 356B Cabriolet de 1962. 

A grande rodagem, porém, já cobrou preço e o motor precisou ser reconstruído três vezes. O propulsor do carro é um boxer de quatro cilindros com 75 cavalos de potência. A caixa de câmbio também sentiu o desgaste do tempo e precisou ser refeita quando o carro chegou aos 1,4 milhão de quilômetros.

Raríssimo McLaren Le Mans vai a leilão

Denominado como LM-Specification, o carro é um superesportivo totalmente analógico, e sua produção foi limitada a 64 exemplares. Com este modelo a equipe inglesa venceu as 24 horas de Le Mans de 1994. Cinco dos carros utilizados na corrida lendária foram colocados à disposição do público em versões LM. Porém, a McLaren queria mais, e utilizou um pacote aerodinâmico suplementar para melhor a capacidade e velocidade de duas dessas unidades. E é justamente uma dessas raridades que vai a leilão nos próximos dias. 

Os organizadores do leilão esperam arrecadar entre U$21 e U$ 23 milhões com a venda do carro. A montadora afirma que esta é uma das versões mais eficazes do ponto de vista aerodinâmico, superando inclusive o F1 GTR, vencedor de Le Mans em 1995. O carro foi entregue novo no Japão em 1994 e convertido para a versão LM-Specification entre 200 e 2001, em um processo de duas fases. Ele é pintado de prata com interior feito de pele em creme . 

Organizadores do leilão esperam vender o clássico da McLaren por até US$ b23 milhões Foto: Divulgação

O atual dono do carro é Andrew Bagnall, que comprou o veículo em 2007. Ele é um ex-piloto neozelandês entusiasta de automóveis. Tanto que utilizou o carro em diversos eventos e rodou 21,5 mil quilômetros. Mesmo com a rodagem, o carro apresenta uma ótima conservação e agora aguarda um novo dono.

O último adeus ao Fusca

Um dos carros favoritos do brasileiro por décadas e que até hoje ainda tem apaixonados, o Fusca teve sua última unidade saída de uma fábrica nesta quarta-feira. A produção do carro foi encerrada na filial da Volkswagen da cidade de Puebla, no México, último país a produzir o veículo.

Foram 74 anos de Fusca pelo mundo, tempo que o tornou um dos mais populares do mundo. Criado em 1945, o carro teve 21 milhões de unidades produzidas ao longo de mais de sete décadas, das quais três milhões no Brasil. O país se tornou o terceiro país onde mais se vendeu Fusca em todo mundo, ficando atrás apenas de Alemanha e Estados Unidos.

A relação do brasileiro com o Fusca é tão grande que levou o presidente Itamar Franco a pedir que ele voltasse a ser produzido no país em 1992 para popularizar o carro no país. A Volkswagen tinha parado a produção brasileira do carro em 1986. A produção nacional foi encerrada definitivamente em 1996.

No México a produção seguiu até 2003 ano com o lançamento da “Última Edición”, encerrando um ciclo na história do automóvel. Foram 21,52 milhões de unidades vendidas em 20 países. A versão final mexicana, batizada “Última Edición”, representou o fim de um dos mais brilhantes capítulos da história do automóvel. Foram 21.529.464 de exemplares colocados nas ruas em 20 diferentes países. Mas a história ainda não havia acabado. Porém, a história seguiu com a fabricação do New Beetle, um carro que nunca atraiu tantos admiradores quanto seu antecessor.

Sem grandes mudanças ao longo das décadas, Fusca marcou diversas gerações Foto: Divulgação

O carro pensado por Adolf Hitler e projetado por Ferdinand Porsche passou pelos anos sem ter sua vinculação com o ditador alemão. O primeiro protótipo do carro foi apresentado em 1935. Mas demorou quase 10 anos para que começasse a produção em massa do veículo. Apenas no Natal de 1945, quando a fábrica já era comandada por militares britânicos, que iniciou produção em série. Até 1947 os carros eram destinados prioritariamente para Aliados com cerca de 1.000 unidades ao mês.

Foi em 1948 com a reforma cambial que o Fusca começou a ser vendido para clientes particulares. Em 1949 foi a produção deste simpático carro que liderou a recuperação econômica do país que vivia uma situação muito crítica desde o fim da II Guerra Mundial. O primeiro modelo foi importado da Alemanha para os Estados Unidos em 1949. A fábrica passou para uma produção de 1000 mil unidades em 1950, cinco anos depois a produção já era de um milhão anuais. Em fevereiro de 1972 o carro se tornou o mais produzido em todo o mundo com mais de 15 milhões de unidades.

Ferrari do primeiro título de Lauda vai a leilão

O carro que transformou Niki Lauda em lenda está indo a leilão. O Ferrari 312T, que foi conduzido pelo ícone da Fórmula 1 em 1975, ano que o piloto levantou o primeiro de seus três títulos, será oferecido em um evento marcado para os dias 16 e 17 de agosto, em Peblle Beach, na Califórnia. O leilão será  realizado pela Gooding & Company e as projeções é que o valor pago gire entre U$ 7 a U$ 8 milhões.

O 312T é um carro marcante para a Ferrari, pois foi com ele que a equipe italiana deixou para trás os 11 anos sem títulos. O carro foi desenhado, Mauro Forghieri, trazia uma revolução para a época, a caixa de câmbio desenhada de forma transversal, o câmbio em T. Essa mudança permitiu à Ferrari ter um carro com um centro de gravidade mais baixo, o que facilitava a vida do piloto.

Para empurrar a máquina o motor utilizado foi o Ferrari 015, de 12 cilindros e 3,0L de cilindradas. O propulsor tinha 500 cv de potência e deixou para trás os motores Cosworth DFV, utilizados por boa parte das equipes naquele ano. Mesmo com novidades tecnológicas, um motor potente e talento de Niki Lauda, demorou um pouco para o bólido engrenar no campeonato. Nas quatro primeira corridas daquele os resultados foram bem abaixo do esperado. Até o GP de mônaco, quinta etapa da temporada, Lauda ainda não tinha chegado ao pódio.

Mas a chegada ao principado marcou uma mudança radical. Lauda fez um fim de semana perfeito, marcando a pole position e chegando em primeiro lugar. O resultado da prova se repetiu nas duas corridas seguintes, GP Bélgica e Suécia. Lauda ainda venceria mais duas corridas naquele ano, os GPs da França e dos Estados Unidos, última prova da temporada. 

Foram fabricadas apenas cinco unidades do modelo 312T, e o carro foi aposentado apenas em 1976, no GP da África do Sul.

Porsche que pertenceu a Eddie Van Halen vai a leilão

Roqueiros famosos e carros esportivos sempre tiveram uma ligação forte, e Eddie Van Halen não negou o clichê e em 1996. Na época a banda do guitarrista vivia uma de suas melhores fases, e o músico comprou um Porsche 911 Turbo.

img_944x629$2019_06_24_17_55_23_156145
Detalhes do interior são um dos destaques do carro

O carro já não pertence a Van Halen desde 2009, e agora o dono atual também ofereceu o Porsche à venda. O site Bring a Trailer, especialista em leilões, traz o anúncio do carro que teve como último lance USD 146 mil, valor ainda distante do que o atual dono espera.

 
De acordo com o anúncio o motor do Porsche é um biturbo de seis cilindros de 407 cavalos, com caixa de câmbio de seis velocidades. O carro, que já rodou 34 mil km, tem uma pintura Arena Red com estofados de couro negro. Além disso, em 2000, Van Halen pediu diversas alterações mecânicas. As mudanças foram feitas pela RUF Automobiles, incluíram novos turbocompressores e novo sistema de exaustão e um computador de bordo.

928: O ambicioso projeto de luxo e design inovador da Porsche

No final dos anos 1960 a Porsche buscava colocar em produção um produto diferente daquilo que todos esperavam dela. Seus esportivos de motorização boxer traseira, refrigerada a ar eram um sucesso pela eficiência e durabilidade, mas eles queriam ir além.

Iniciaram então os estudos da criação de um modelo mais luxuoso, com motor dianteiro. Após longo período de desenvolvimento de projetos, a montadora alemã apresentou em 1977 o protótipo do 928, equipado com motor V8 dianteiro de 4,5 litros.

A inovação causou calafrios nos aficionados pela marca por destoar demais da sua tradição, porém, o equilíbrio dinâmico que tornava a condução do carro impecável, associada ao excelente rendimento dos 241 cv e levavam o carro facilmente aos 230 km/h, compensava.

Pesando pouco menos de 1500kg, ele ia de 0 a 100 km/h em apenas 7,5 segundos e o torque de 37 mkgf fazia com que a sua condução fosse extremamente prazerosa.

Lançado comercialmente em 1978, ele era muito mais evoluído tecnicamente que os irmãos 911 e que os concorrentes Ferrari 328, Mercedes 560 SEC e Corvette ZR-1.

Ao longo de sua história ele ganhou motorização mais forte. Em 1979 a versão 928S trazia um V8 de 4,7 litros e 300 cv, suficientes levar o carro aos 250 km/h.

Em 1982 foi lançada a versão S2, com 310 cv e câmbio automático de quatro marchas. Em 1984 chegou o V8 de 5 litros, quatro válvulas por cilindro e 320 cv, além do incremento dos freios ABS.

Em suas últimas versões a potência subiu para 330 cv na versão GT (1989) e 350 cv na GTS (1991). Ele encerrou seu ciclo como um respeitável esportivo capaz de atingir 275 km/h e ir de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos, em 1995.

Apesar de inovador, o 928 não vendeu tanto quanto a Porsche pretendia. Em seus 17 anos de produção foram vendidas pouco mais de 60 mil unidades, o que faz dele hoje um carro altamente colecionável.

O exemplar a venda é justamente do primeiro ano de fabricação, na cor prata. Em excelente estado de conservação ele tem, segundo o proprietário, pequenos detalhes no interior que podem ser facilmente corrigidos pelo comprador.

O anúncio está no OLX e a pedida é de R$ 125.000,00.

Alfa Spider: Um roadster para chamar de seu

Lançada em 1995 no Salão de Genebra, com um design atemporal criado pelo Estúdio Pininfarina, a Alfa Spider é um roadster equipado com o mítico motor V6 de 3 litros, criado por Giuseppe Busso, com 182 cv e 26,2 quilos de torque.


Apesar dos quase 1500 quilos, a Spider é um carro com desempenho equilibrado, capaz de colocar um sorriso no rosto daqueles que possuem um cuore sportivo, chegando fácil aos 220 km/h.


O exemplar da foto, ano 1996, tem bom estado geral e rodou apenas 82.795 quilômetros. Conta com capota automática, pneus novos e pintura em perfeito estado de conservação. Tudo isso por R$ 50.000,00.


O anúncio está no OLX.

Onze BMW série 5 E34 zero km são achados em barracão na Bulgária

Parece história da carochinha, mas não é. Nada menos do que onze exemplares zero km dos BMW série 5 da geração E34 (1987-1996), foram encontrados nesta semana em Blagoevgrad, na Bulgária.
Eles são todos de 1994, e salvo por alguns pequenos arranhões, estão em excelente estado de conservação.
Sites europeus tem uma teoria sobre os veículos: Eles seriam da empresa Bulgarlizing, de Dimitar Tadarakov, um executivo de renome que teria falido nos anos 90, deixando parte do patrimônio abandonado.
Os veículos serão leiloados e estima-se que cada um seja arrematado por pelo menos 15.000 €.