Mercedes prepara carro conceito para evento de design

A Mercedes decidiu revistar o passado para o Design Essentials 2019, lançando um roadster futurista inspirado em um calhambeque do inícios do século XX. De acordo com o site Aquela Máquina, o Vision Mercedes Simplex foi inspirado no Mercedes 35 PS, carro criado em 1901, e funciona como uma homenagem aos carros de competição da marca.

O carro tem o objetivo de definir novos padrões de mobilidade. Além de lembrar o carro que dominou as pistas, a Mercedes também traz uma grelha em rosa dourado dando um ar esportivo. Na parte central há um visor digital que destaca o nome da marca, acompanhado a imagens animada com informações sobre o carro.

Tetracampeão de F1 com a Mercedes, o inglês Lewis Hamilton é um dos garotos propaganda do carro que remonta aos clássicos de competição da marca Foto: Divulgação

A carroceria do Vision tem quatro rodas independentes com pneus exclusivos. Mas quando o assunto é motor, a montadora alemã preferiu manter o mistério e não deu nenhuma informação sobre o mesmo. Especialistas europeus apostam que o carro sairá da fábrica com um motor elétrico.

Toyota RAV4 é reprovado no Teste do Alce

A Toyota recebeu uma péssima notícia na semana passada, ao ter o seu RAV4 reprovado no chamado ‘teste do alce’, realizado pela publicação sueca Teknikens Värld. Ao analisar algumas unidades do novo SUV da montadora da japonesa, os suecos consideram que o carro teve um comportamento “perturbador”, como mostra o site autofoco.com.

O Teste do Alce é feito com o carro sendo colocado entre cones em uma velocidade entre 70 e 80 km/h. De acordo com a publicação “o SUV mostrou uma tendência a levantar as duas rodas exteriores e noutras o ESP não conseguiu controlar adequadamente os movimentos do veículo, resultando em sobreviragem excessiva, e muitas vezes falhou o teste.” A revista foi a primeira a, em 1997, mostrar as falhas da primeira geração do Mercedes Classe A, que também foi reprovado no teste.

O RV4 conseguiu cumprir as exigências do teste com uma velocidade de apenas 68 km/h, na comparação com os concorrente Nissan Qashqai e Kia Sorento o resultado foi bem abaixo. O primeiro cumpriu as metas com 84 km/h enquanto o segundo passou com 78 km/h.

Em nota enviada à revista a Toyota defendeu a qualidade do seu carro. No texto, assinado pelo diretor de comunicação da sede sueca da empresa, Erik Gustafsson, ela afirma que o RAV4 foi “aprovado em exames internos que permitem concluir sobre a sua aptidão no Teste do Alce. Os nossos testes internos atendem, na plenitude, aos padrões internacionais de segurança e, desde 2016, atualizamos os nossos processos para refletir também os procedimentos utilizados pela Teknikens Värld. Durante seu estágio de desenvolvimento, o RAV4 passou com sucesso em todos os testes internos, incluindo o ISO 3888-2 e o teste do Alce da Teknikens Värld”.

Barrichello comemora 10 anos da vitória na F1 no lugar mais alto do pódio

Durante toda a semana passada o mundo do automobilismo lembrou, com certa dose de nostalgia e tristeza, a última vitória brasileira na Fórmula 1. No dia 13 de setembro de 2009 o brasileiro Rubens Barrichello, Rubinho foi o primeiro a cruzar a linha de chegada do GP da Itália, disputado em Monza, a bordo da surpreendente Brawn, equipe comandada por Ross Brawn, que por anos foi o responsável pelas estratégias vencedoras da Ferrari de Michael Schumacher e do próprio Rubinho.

Uma década depois Barrichello segue nas pistas, e quis o destino que justamente neste dia iniciasse o fim de semana da Stock Car, que disputou sua 8ª etapa no circuito do Velopark, em Nova Santa Rita, na região metropolitana de Porto Alegre. Com duas baterias consecutivas realizadas no domingo, Rubinho usou da estratégia para pular na frente e vencer a segunda corrida. Com um carro reconhecidamente inferior ao dos competidores, ele aproveitou a primeira bateria para economizar pneu e combustível, e com o grid invertido na segunda, soube entrar nos boxes na hora certa para pular na ponta e vencer a corrida.

No pódio, Rubinho era muito celebrado pelo público presente e, ao falar com a reportagem do Na Garagem, comparou a vitória em Monza 10 anos atrás com o momento vivido neste fim de semana. “São duas vitórias, porque o que o ser humano carrega são memórias, às vezes a gente não tem foto mas fica dentro da cabeça. Estou muito feliz de ter tido essa vitória e ter um público tão carinhoso comigo.” Mas além de estratégia, ele também precisou usar da experiência para evitar a ultrapassagem de um ousado Bruno Baptista, piloto da RCM. Baptista vinha rápido, e chegou a disputar a curva no final da reta com Barichello, mas não conseguiu achar o espaço e acabou saindo da pista. A manobra não teve nenhuma polêmica, e os dois pilotos trocaram elogios ao final da corrida. 

Barichello obteve sua quarta vitória nesta temporada da Stock Car, em todas o primeiro lugar veio na segunda corrida. O piloto da Full Time Sports chegou a 209 pontos, 39 a menos que o líder Ricardo Maurício. Embora matematicamente ainda esteja vivo na briga pelo título, a conquista ao fim do ano é uma tarefa difícil, já que reconhecidamente seu carro não é tão competitivo quanto dos adversários da ponta.

Estratégia garante liderança de Ricardo Maurício no campeonato da Stock Car

Uma corrida não se decide só dentro da pista, e isso ficou provado nas provas da Stock Car disputadas neste domingo no autódromo do Velopark, em Nova Santa Rita região metropolitana de Porto Alegre, provou isso. Nas duas baterias o grande vencedor foi Ricardo Maurício, da equipe Eurofarma, que mesmo chegando em terceiro em ambas as corridas, conseguiu somar os pontos necessários para assumir a liderança do campeonato com 245 pontos, quatro a mais que o companheiro de equipe e vice-líder Daniel Serra.

Maurício largou na pole na primeira bateria, mas foi ultrapassado na quarta volta por Felipe Fraga, piloto Cimed Racing. Na sequência ele ainda perderia o segundo lugar para Gabriel Casagrande, da Crown Racing. Ao invés de tentar perseguir os líderes, Maurício preferiu pensar no campeonato e garantir o terceiro lugar, pois sabia que os dois pilotos que estavam a frente eram mais rápidos.

Foi então que entrou em cena a estratégia de pensar nas duas corridas. Mais preocupado em somar pontos, e vendo o adversário principal na briga pelo título na nona posição, ele optou por uma parada mais longa, colocando mais combustível que os adversários. A primeira corrida terminou com ele na terceira posição, e com uma boa vantagem para a segunda bateria. Com o grid invertido, Maurício sabia que era preciso mais do que uma boa pilotagem para voltar aos primeiros lugares. Largando na sétima posição ele se valeu da parada da primeira corrida, quando colocou mais combustível, para fazer um pit stop mais curto na segunda. A estratégia só não funcionou melhor porque Rubens Barrichello, da Full Time Sports, e Bruno Baptista, da RCM, tiveram a mesma ideia. Com menos tempo de parada, eles assumiram o primeiro e o segundo lugar e disputaram a vitória até a bandeirada final. Maurício seguiu na terceira posição, e garantiu assim os pontos que lhe colocaram na liderança do campeonato.

Golf será o primeiro carro híbrido da Volkswagen no Brasil

A Volkswagen prepara o lançamento de 20 carros no Brasil até o próximo ano, e o 14 dessa gama de veículos será o Golf GTE no modelo esportivo híbrido plug-in. Este será o primeiro modelo híbrido produzido pelos alemães para o mercado brasileiro. A informação foi dada pelo site Auto Racing.

O carro se propõe a apresentar desempenho esportivo com eficiência energética. A montadora diz que o Golf GTE pode ser conduzido no modo totalmente elétrico por cerca de 50 km, e a autonomia total do carro pode passar os 900 km incluindo motor elétrico e a gasolina.

No modelo híbrido, o Golf terá um motor a combustão, que pode chegar até 150 cavalos de potência, e um propulsor elétrico com 75 kW de potência, o equivalente a 102 cv. Juntos os dois motores podem oferecer uma potência de até 204 cv, utilizando apenas o motor elétrico o carro pode atingir até 130 km/h. Caso o motorista opte por utilizar os dois sistemas combinados, o GTE vai de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos.

O motor elétrico do carro é alimentado por uma bateria de 380 volts, garantindo que o carro rode por até 2h45min. Esta bateria pode ser carregada em uma tomada convencional de 220v ou nas estações de carregamento. A bateria de lítio de alta tensão é carregada através de soquete localizado atrás do logotipo VW na grade dianteira do carro. Ainda não há uma data oficial para o lançamento do carro que iniciará o processo de eletrificação da Volkswagen no Brasil.

Volkswagen produziu os sedãs que menos desvalorizam em 2019

A Volkswagen é a fábrica que produziu os sedãs menos desvalorizados ao do ano, segundo a avaliação da Kelley Blue Book (KBB) Brasil, site que é considerado uma referência na precificação de veículos novos e usados. O site analisou os carros do ano/modelo 2019 vendidos como 0KM entre janeiro e junho, e também aqueles com ofertas no mercado de seminovos em janeiro.

Na avaliação de depreciação, o Virtus foi quem menos perdeu preço, caindo 3,75% em relação ao valor original. O Yaris da Toyota vem em segundo lugar, com uma perda de 3,62%. O Classe C da Mercedes perdeu 4,17% do valor de mercado durante o semestre.

Os modelos da Ford foram os que tiveram a maior depreciação, com Ka perdendo 15,91% do valor de mercado e Focus Fastback 17,76%. O estudo aplicou o conceito de depreciação por modelo, e levou em consideração a depreciação por modelo, colocando um índice ponderado que atribui pesos diferentes para cada versão de acordo com o volume de vendas.

Confira abaixo a tabela completa com a depreciação dos sedãs levantados pela KBB Brasil.

MARCA/MODELODepreciação:Jan/19 a Jun/19
Volkswagen Virtus-3,57%
Toyota Yaris Sedã-3,62%
Mercedes-Benz Classe C-4,17%
BMW M5-4,41%
Mercedes-Benz S560-4,59%
Jaguar XF-5,03%
Volvo V60-5,29%
Toyota Etios Sedã-5,66%
Caoa Chery Arrizo5-5,80%
Hyundai HB20S-6,01%
Toyota Corolla-6,09%
Honda City-6,78%
Honda Civic-6,93%
Mercedes-Benz Classe E-7,03%
Volkswagen Voyage-8,23%
Fiat Cronos-8,94%
Nissan Versa-8,99%
Renault Logan-9,84%
Chevrolet Cruze-9,92%
KIA Cerato-10,43%
Chevrolet Cobalt-11,10%
Chevrolet Prisma-11,14%
Citroen C4 Lounge-11,23%
Mitsubishi Lancer-11,78%
Nissan Sentra-12,04%
Fiat Grand Siena-14,35%
Ford Ka Sedan-15,91%
Ford Focus Fastback-17,76%

Novos SUVs da Fiat terão motor turbo e câmbio CVT

Com novidades previstas para 2021, com o lançamento de novos SUVs – um compacto e outro baseado no conceito do Fastback (foto), apresentado no Salão do Automóvel de 2018, a Fiat anunciou também que trabalha no desenvolvimento de novos motores e câmbios, que serão turbo e CVT, respectivamente.

Os dois lançamentos serão de segmentos onde a marca ainda não está concorrendo, ou seja, abaixo do Jeep Renegade e logo acima do Jeep Compass.

Publicado originalmente no Jornal de Brasília

Hyundai apresenta partes do novo HB20

A Hyundai decidiu apresentar em partes a nova geração do HB20, o novo modelo do popular carro da marca sul coreana será lançado no dia 16 de setembro. Na segunda-feira a montadora colocou em suas redes sociais a primeira imagem do hatch compacto, que mostra o conceito de design de teto flutuante. 

O primeiro elemento a ser apresentado mostra a parte traseira do carro, dando uma pequena pista de como será o novo modelo. Outras imagens do HB20 serão divulgadas ao longo da semana. Os fãs da marca poderão ver as imagens do carro no perfil da Hyundai no Instagram, no @hyundaibr, no Facebook, facebook.com/hyundaibr, além do canal no Youtube, youtube.com/hyundaibr.

Na terça-feira foi apresentado o primeiro vídeo, que mostra detalhes do carro. Nas imagens a Hyundai mostra o farol, que chegará ao Brasil em um formato inédito, equipado com projetor light guide em LED.

Em 2012 a Hyundai desembarcou no Brasil investindo R$ 700 mil na fábrica de Piracicaba, em São Paulo. ALém da linha HB20, a montadora também oferece uma gama de outros veículos, como o SUV Creta, que é produzido em uma versão exclusiva no país desde 2017, que custou inicialmente US$ 130 milhões. Neste ano a empresa investiu mais US$ 35 milhões para ampliar a capacidade produtiva, que passou de 180 mil para 210 mil unidades por ano.

Mercedes confirma permanência de Bottas e Ocon vai para Renault

Na última semana das férias da Fórmula 1 a dança das cadeiras nas equipes esquentou, com a renovação de contrato de Valtteri Bottas, que permanece na Mercedes por mais um ano, a porta da equipe alemã para Esteban Ocon, o garoto prodígio que ficou um ano sem carro precisou achar outros rumos. 

A solução do francês foi caseira, já que ele conseguiu uma vaga na Renault, desbancando o alemão Nico Hulkenberg, que sai da equipe com a incômoda marca de nunca ter subido ao pódio em quase 15 anos como piloto da categoria. Enquanto isso, Ocon volta para equipe onde foi piloto de testes em 2016.

O francês é apontado como uma das promessas da nova geração de pilotos, e já foi apontado por Lewis Hamilton como um dos mais talentosos do circuito. Porém a falta de patrocínio deixou Ocon a pé na temporada deste ano. Piloto da extinta Force India, ele não resistiu a injeção de dinheiro da família Stroll, que comprou a equipe e a transformou na Racing Point.

Ao longo de 2019 Ocon como piloto de testes da Mercedes, e era apontado como o favorito para assumir o lugar de Bottas em 2020, já que é empresariado pelo chefão da Mercedes Toto Wolf. Entretanto, o bom início de ano do finlandês e o clima tranquilo nos bastidores pesou para renovação com Bottas, que passa longe de ser uma ameaça ou causar atritos com o pentacampeão. O finlandês renovou o contrato com a equipe por um ano.

Já Hulkenberg negocia com os norte americanos da Hass para não ficar a pé na próxima temporada.  A equipe anunciou que um dos dois pilotos atuais está com vaga garantida para 2020, resta saber se Kevin Magnussen ou Romain Grosjean permanecerão no time. Outra alternativa para Hulkenberg é negociar um lugar na Alfa Romeo, onde os maus resultados de Antonio Giovinazzi fazem com que seu lugar no cockpit não esteja garantido.

Porsche revela parte de seu novo carro

A Porsche apresentará o Taycan apenas no dia 4 de setembro, mas já começou a mostrar partes de seu carro totalmente elétrico. Por enquanto, os fãs da marca puderam ver apenas o interior do carro, já que a montadora apresentou apenas imagens do painel do veículo.

Mesmo com a pequena amostra, é possível ver que os alemães investiram pesado na tecnologia. O carro mostra quatro telas, um painel digital de instrumentos, sistema de entretenimento, visor de condições do tempo e um monitor colocado no lugar do passageiro. A partir dele será possível alterar as configurações do carro, dando mais liberdade ao motorista.

O sistema consiste em um visor anti reflexo de 16,8 polegadas, em um estilo minimalista. Nele estarão disponíveis quatro configurações: Classic, Map, Full Map e Pure. O primeiro é a original do carro, e as outras duas trazem informações de navegação. Já a configuração Pure é a mais “raiz” com informações básicas como velocidade, sinais de trânsito e navegação.

No painel de entretenimento, de 10,9 polegadas, será possível conectar smartphones, aplicativos de navegação, entre outras comodidades, tudo comando por voz. Mesmo sem ser mostrado, a porsche já anunciou que os bancos traseiros terão um painel de 5,9 polegadas com sistema touch screen. Mas até o dia 4 de setembro, essas devem ser as únicas revelações sobre o novo carro da Porsche.