Competições F1 Notícias noticias-corporativas

Globo deixará de transmitir F1 em 2021 e direitos podem acabar com Rio Motorsports

Emissora carioca e Liberty Media não chegaram a um acordo e agora a empresa Rio Motorsports é a mais cotada para comprar os direitos de transmissão do campeonato a partir de 2021.

Depois de mais de três décadas de transmissão ininterrupta, a Rede Globo não fará a transmissão do campeonato de Fórmula 1 em 2021. De acordo com o site Grande Prêmio a emissora carioca já havia decidido não renovar o contrato de transmissão com a Liberty Media em razão dos valores cobrados pela nova administradora da categoria. A cúpula da Globo definiu antes do começo do campeonato em julho que não renovaria o contrato, decisão que só seria mudado caso houvesse a redução dos valores pedidos pela empresa.

Com a saída da Globo, a Fórmula 1 perde um dos últimos canais de televisão aberta do mundo que transmitiam as corridas. O fim do acordo com a Liberty é mais um de uma série de ações que a emissora tem tomado para reduzir custos, já que ações semelhantes foram tomadas em relação a acordos com a Fifa e Conmebol.

Ainda segundo o site Grande Prêmio, em 2020 a Globo vendeu cinco das seis cotas de patrocínio previstas para a transmissão da Fórmula 1. Mesmo assim a receita foi de R$ 494,75 milhões. Em teoria o valor seria suficiente para cobrir o valor dos direitos de transmissão. Entretanto, a Globo tem uma dificuldade extra, já que precisa dividir esse valor com 118 emissoras para poder transmitir as corridas em todo território nacional, o que acaba tornando a operação deficitária.

Em maio deste ano os jornalistas  Julianne Cerasoli e Gabriel Vaquer publicaram no site UOL matéria contando os detalhes da negociação. O texto mostra que a emissora buscou renovar ainda em 2019 os direitos de transmissão, porém com um valor máximo de US$ 20 milhões, enquanto a Liberty exigia US$ 22 milhões. 

Sem a renovação do contrato com a Globo futuro das transmissões de F1 no Brasil é incerto.

Outro imbróglio entre Globo e Liberty Media era em relação ao tratamento que a emissora tem dado às corridas. Um dos incômodos era o fato de a Globo não transmitir mais na integra os treinos de classificação. Como a empresa norte-americana visa um novo modelo de negócios, onde seu faturamento venha de outras áreas que não apenas a venda dos direitos de transmissão, a política da Globo em relação à Fórmula 1 desgostava os proprietários da categoria.

Mas todas essas divergências tiveram um outro ponto importante, que foi a entrada da Rio Motorsports, empresa comandada pelo empresário JR Pereira. É ele o principal entusiasta da transferência do GP do Brasil para o Rio de Janeiro. Apontado como um apaixonado por automobilismo, JR Pereira, se aproximou da Liberty justamente quando começou a negociar a volta da Fórmula 1 para  a cidade carioca.

Na reportagem do UOL é mostrado que a Rio Motorsports ofereceu o sonho dourado para a Liberty. Além de injetar dinheiro para mudar o local do GP do Brasil, a empresa carioca também compraria os direitos de transmissão entre 2021 e 2030. Para tornar o negócio viável a Rio Motorsports pretende criar um modelo de negócios onde ela licencie os direitos de transmissão para emissoras de TV aberta e fechada, dividindo com estas o dinheiro dos comerciais e ainda destinando entre 5% e 10% das cotas de patrocínio para a Liberty.

O futuro das transmissões da Fórmula 1 no Brasil deve ser definido nos próximos dias. Por ora o que se tem é a incerteza se alguma emissora de televisão aberta terá cacife para bancar mesmo um contrato terceirizado.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: